As várias identidades de Amsterdam

Amsterdam tem um pouco de tudo. As ruas nada secretas do bairro vermelho, o cheiro típico de liberdade de algumas esquinas, a beleza dos canais, as bicicletas que disparam de todos os cantos, o charme das casinhas e janelas altas, os tons das tulipas. Amsterdam é isso, aquilo e muito mais. A cidade é feita para aqueles que procuram aventuras psicodélicas ou românticas. É feita para carros, pedestres, barcos, ciclistas, sonhadores. É feita com pedacinhos do mundo. Todas essas partes perdidas de cada bairro constroem uma cidade única que jamais perde sua(s) identidade(s) e recebe cada vez mais turistas.


A cidade holandesa é pequena comparada à outras europeias, mas ainda sim há muito o que explorar

Museu do Van Gogh
www.vangoghmuseum.nl
O conteúdo do acervo deste museu foi reunido pelo irmão de Van Gogh, Theo, que juntou 200 obras, 500 desenhos, além de cartas escritas pelo artista. Na exposição, está exibido o famoso quadro “Quarto de Van Gogh em Arles”, de 1888.  

Vondelpark
Nove entre dez habitantes de Amsterdam visitam esse parque pelo menos uma vez ao ano. O local é extremamente prazeroso, devendo ser explorado e apreciado quantas vezes for necessário. Faça um passeio com calma, curtindo a natureza – você vai perceber um novo detalhe encantador a cada nova caminhada pelo parque. O espaço verde abriga um bar, uma casa de chá, um museu, um teatro a céu aberto e algumas estátuas como a “Figure découpée” de Pablo Picasso. Durante o inverno, é possível patinar nos lagos congelados.

amsterdam-1912708_960_720.jpg

Casa da Anne Frank
www.annefrank.org‎
Durante a Segunda Guerra Mundial, Anne Frank, sua família e os Van Daan ficaram escondidos por anos nesta casa, hoje aberta a visitação. Seu diário, publicado em 1947,  ficou famoso no mundo todo por revelar sua comovente história.  

Red Light District
A cidade que era apenas um vilarejo de pescadores tornou-se um dos principais portos comerciais no norte da Europa. Foi então que, durante o século XIII, Amsterdam emergiu também como a cidade da prostituição. O Red Light District (Bairro da Luz Vermelha) ainda é uma das maiores atrações turísticas e concentra bordéis, boates, sex shops e “vitrines” de garotas até hoje.  Durante o dia você pode curtir a atmosfera agradável de lojas, bares, restaurantes e cafés.  

Albert Cuypmarkt
www.albertcuypmarkt.com
O Pijp é um antigo bairro da cidade, originalmente habitado pela classe operária que trabalhava na cervejaria da Heineken. Atualmente, a região é conhecida pela sua multicultura, boemia e o tradicional Albert Cuypmarkt. Este mercado a céu aberto é um dos maiores de toda a Europa, são cerca de trezentas barraquinhas dispondo dos mais variados artigos – desde perucas coloridas à alimentos e produtos de limpeza.  

Você sabia? A capital da Holanda é Amsterdam, mas a sede do governo e as embaixadas localizam-se na cidade de Haia.   

Rijksmuseum
http://www.rijksmuseum.nl
O Rijksmuseum é um dos melhores museus da Holanda. Há várias relíquias em exposição do artista Rembrandt, inclusive a famosa obra “Ronda Noturna” do século XVII. O espaço é imenso e uma visita não será o suficiente para apreciar as alas destinadas à história holandesa, arte asiática e de esculturas. Portanto, programe-se!  

rijksmuseum-2127625_960_720.jpg


Museum Het Rembrandthuis
http://www.rembrandthuis.nl
Nada mais histórico e adequado do que abrigar as grandes obras de Rembrandt na casa em que o artista trabalhou em suas pinturas, desenhos e gravuras e que também lecionou entre 1639 e 1656. O interessante, que além ver as exposições do museu, você conhece também o lar que habitou com sua esposa Saskia.  

Haarlem
O bairro de Haarlem é praticamente a capital de Amsterdam, onde tudo acontece. A prefeitura (Stadhuis) situa-se na famosa e animada praça Grote Markt, próxima a medieval Amsterdamse Poort, porta de entrada da cidade construída em 1355. Há várias lojinhas, cafés, bares e restaurantes e museus na região. Divirta-se!  

Leidseplein
O local é um clichê turístico em Amsterdam. Mas isso não é negativo. A praça Leidsenplein é vibrante e ao seu redor você encontrar bares e restaurantes super bacanas. A sugestão de passeio para fazer por perto  é conhecer os canais de barco nos dias quentes. Já em dias maios frios, você pode arriscar patinar no gelo.    

Os holandeses fundaram a Nova Amsterdam em 1624, na América do Norte. Porém, após conflitos com os ingleses, decidiram trocar a região (que passou a chamar Nova York) por Suriname, país grande produtor de açúcar na época. Aliás, o Suriname foi colônia holandesa até os anos 70 e uma das suas línguas oficiais é o holandês. 

house-2678933_960_720

 

Compras

Kalverstraat
A rua mais famosa de Amsterdam não tem carros nem mesmo bicicletas passando por ela, pois é fechada para pedestres. Assim, fica muito tranquilo fazer um passeio por ela e apreciar as vitrines das dezenas de lojas de vão desde moda à utensílios domésticos.  

9 straatjes
Essa região é composta por nove ruazinhas (da 9 straatje) que valem um passeio. Lá você encontra várias lojas charmosas e bacanas de moda, arte, música e design.  

ArenA Boulevard
A ArenA Boulevard fica localizada um pouco afastada do centro de Amsterdam, portanto para chegar lá você pode pegar um trem e descer na estação Bijlmer. O espaço concentra várias lojas de eletrônicos e esportes.

Pieter Cornelisz Hooftstraat 
Um das ruas mais elegantes de Amsterdam. Conhecida como PC Hooftstraat conta com várias lojas de grife como Bulgari, Chanel, Dolce & Gabanna, Louis Vuitton, porsches, BMWs e Mercedes estacionados e pessoas muito bem vestidas fazendo compras ou apenas um passeio.  

Hema
http://www.hema.nl
A Hema é um dos lugares em que você vai encontrar de tudo. Sim, tudo mesmo como pneus, roupas, utensílios domésticos e vinhos. Aqui você também encontra alimentos e pode fazer um lanche por um preço mais em conta.  

 

A Bélgica fez parte da Holanda até 1839, quando conseguiu conquistar sua independência  

 

Onde comer

stroopwafel-1162424_960_720
O Stroopwafel é a bolachinha feita com uma espécie de wafel e recheio de caramelo. Paixão dos holandeses e turistas, é saboreada como um ritual e para dar um sabor especial, o costume é colocar em cima da boca de uma xícara, para que ela derreta por dentro com o vapor do café. 


Albert Heijn 
A grande paixão dos holandeses e turistas é o Stroopwafel, uma bolachinha feita com uma espécie de wafel e recheio de caramelo. Você pode encher uma mala de viagem só com essa delícia sem ter que ir tão longe. A rede de supermercado Albert Heijn está espalhada por toda Amsterdam que, além desse doce incrível, oferece grande variedade de produtos para um lanche rápido com preços acessíveis.

Casa Bocage
A Casa Bocage é um mercado que vende delícias portuguesas como o famoso bacalhau e uma enorme variedade em vinhos, queijos e azeites. Há também uma lista de produtos brasileiros que inclui sucos, refrigerantes chocolates, balas e outras guloseimas.

Winkel 43
A Holanda possui doces são clássicos. A torta de maçã servida com “slagroom” (chantilly) ou sorvete é uma verdadeira tentação. Portanto, não ouse deixar de experimentá-la, mesmo que exija um pouquinho de paciência. A torta, acompanhada de uma xícara de café, costuma ser requisitada e o local vive cheio. 

Coffee Company
A Coffee Company é especialista em café. Lá você pode pedir um americano, um cappuccino ou um “espresso” com o grão bossanova, que é 100% brasileiro. Uma pedida mais refrescante é o “fruits frozen”, nos sabores morango com banana, manga ou banana com coco.


Febo
Quer comer num lugar barato, mas fugir de McDonald’’s? O Febo é uma rede de fast-food local, mas diferente das outras que você está acostumado. Nas paredes, você encontra forninhos e cada um dispõe de um lanche, como se fosse uma vitrine. Basta colocar o dinheiro na máquina, não há filas.

Moeders
Moeders significa “mães”. O restaurante prepara uma comida típica e o ambiente é decorado para deixar a impressão que você está fazendo a refeição na sua casa, preparada pela sua mãe. Há, inclusive, fotografias das mães dos clientes nas paredes.

Zwaantje
Um dos restaurantes preferidos dos turistas é o Zwaantje. O local é charmoso e tem pratos muito bem servidos. É bom ter um “segundo” estômago para as sobremesas, um espetáculo à parte.

La Place
Na Holanda, é meio raro encontrar lugares que servem sucos naturais e o La Place é uma dessas exceções. Os ingredientes deste restaurante self-service são frescos e há deliciosas opções vegetarianas, sanduíches e massas para matar a fome rapidinho.

Anúncios

Um comentário em “As várias identidades de Amsterdam

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s