Oito passeios de índio em Londres

A expressão “programa de índio” pode ter diferentes significados pelo Brasil afora. Em São Paulo, normalmente significa fazer algo meio manjado, que todo mundo faz e que no fim é meio roubada. Pode ser também sair sem nada muito planejado ou gastar bastante dinheiro e no fim nem se divertir. Em qualquer cidade tem um tipo de passeio meio cilada ou daqueles que todo mundo diz VOCÊ TEM QUE IR, porque ir à Roma e não ir ao Vaticano ou ir a Paris e não entrar no Louvre é como não ir. Tá, mas nem sempre. Só porque todo mundo vai, não quer dizer necessariamente que é imperdível. Já dizia sua mãe “mas você não é todo mundo”.

coisas-que-mae-fala-4

Às vezes ficar horas na fila para ver uma atração no frio, pagar uma fortuna para um ingresso ou ir tão longe não vale tão a pena, afinal você poderia fazer algo mais interessante durante esse tempo, não acha?

Em Londres não é diferente. Existem vários passeios turísticos que, pelo menos na minha opinião, vão fazer você gastar dinheiro e horas preciosas da sua viagem. Claro que se você tiver mais tempo, grana e um desejo incontrolável, vá, ué.  Mas para aproveitar o máximo saiba o que evitar (ou quando evitar) e o que fazer em troca:

LONDON TRANSPORT MUSEUM

Reprodução
Foto: London Transport Museum

É interessante ver os antigos veículos que caminhavam pelas ruas londrinas. Mas o museu é pequeno e custa £17 (agora o ticket vale para o ano inteiro, mas por que você iria mais do que uma vez, senhor?). Melhor ir na National Gallery ali pertinho que possui um acervo rico e a entrada é gratuita. Outro museu bacana é o Museu de Londres que é interativo e conta desde os primórdios da cidade até os dias de hoje. Super incrível ver como Londres se transformou, cresceu e se tornou o que é atualmente. Dica: Evite visitar museus durante as férias escolares. Vai estar lotado de crianças loucas.

TROCA DA GUARDA

Reprodução/ChangingTheGuard
Hoje em dia eu vejo o quão turistona eu era em ter feito todos os passeios possíveis em Londres nas primeiras vezes que visitei. Quando você mora aqui, as coisas perdem bastante o encanto. Mas ao mesmo tempo enxergo melhor sem o véu da obsessão por Londres. Não sei se ficaria horas no frio congelante esperando a troca da guarda – que só toca umas musiquinhas e tal. Cheguei cedo e tirei fotos legais, mas se você não chegar com antecedência, não vai ver muita coisa com mil cabeças na sua frente. Dica: confira dias e horários aqui.

NOTTING HILL CARNIVAL
Não é porque nem chega aos pés do nosso carnaval ou porque é cheio, bagunçado e uma imundície (além de quase sempre chover nessa época). Mas é simplesmente porque é perigoso. Esse ano 6 pessoas foram esfaqueadas. É comum a presença de gangues – ah, e nunca é demais dizer: cuidado com seu celular. Troque esse passeio por uma caminhada pelo colorido Columbia Road Flower Market aos domingos ou uma ida um campo de lavanda, o Mayfield Lavender durante o verão.

MADAME TUSSAUD’S
Como assim? Mas o Madame Tussaud’s é mara. Fui na primeira vez que visitei Londres, é legalzinho. Mas ficar horas na fila para ver um monte de estátua de gente famosa e bem mais rica que você é tão sem graça… e caro!!! Dica: sempre verifique os preços das atrações na internet. 101% das vezes é mais barato do que pagar na hora. Além disso, há ingressos combinados e com desconto. Dê uma olhada aqui.

BATE-VOLTA EM CAMBRIDGE OU OXFORD

imageresizer
Foto: Visit Cambridge

Se você tem menos de cinco dias em Londres, uma visitinha às cidades próximas pode ser bem corrido. Mas com tempo de sobra, vale a pena sim conhecer e passar o dia em uma delas. Dica: para encontrar os bilhetes mais baratos acesse o site da TrainLine.

ANO NOVO NA LONDON EYE

nye-600x300
Realmente espetacular e de tirar o fôlego, mas você precisa adquirir ingressos com antecedência e se preparar para ficar horas em pé só para assistir um show de fogos de artificio que dura cerca de 15 minutos.

HARRODS
Luxuosa por dentro e por fora, essa loja de departamentos é praticamente igual às outras (John Lewis, Selfridges), ou seja, dispõe de roupas que custam todo o dinheiro que você teve nessa vida e nas passadas. O Food Hall é carésimo, mas possui produtos importados, diferentes e chiques que você não encontra em qualquer lugar.

PICADILLY CIRCUS
Tire sua foto e saia correndo, principalmente nos horários de pico, pois é tão cheio que não dá nem para andar e os locais para comer são bem mais caros. Vale também para Oxford Street (lá pelas 18h é impossível entrar no metrô, a fila sobe a escada e sai para fora. Não use a Central Line se possível na hora do rush) e Leicester Square (sempre lotada de apenas turistas perdidos, já falei sobre isso neste post). Dê uma passadinha rápida e siga para qualquer outro lugar, pelo amor de Deus. Outra dica é evitar o Borough Market aos sábados. Esse mercado é ótimo e bem mais tranquilo nos dias de semana.

Quer saber as coisas mais irritantes de Londres? Descubra aqui.

Anúncios

2 comentários em “Oito passeios de índio em Londres

  1. como irei a primeira vez, clarooo que vou querer ver a troca de guarda. Mas confesso que a Madame, pelo seu preço, tá me desanimando…
    Vamos manter a meta aberta hahahaa

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s