Como não ser um turista babaca

Morando numa cidade extremamente turística como Londres, turistas fazem parte do meu dia a dia (e às vezes da minha casa quando alugamos pelo Airbnb).
É legal conhecer gente do mundo todo, conhecer um tico de cada cultura, se misturar nessa multidão com milhares de faces e vozes com diversos sotaques no metrô e pelas ruas. Menos por Leceister Square. Leceister Square é o pseudo inferno turístico. Não que eu não goste dessa área, mas parece que a estupidez turística se acumula toda aqui. Um turista em Londres é normal até entrar na tão superestimada loja de M&M’s, tirar foto de lixo, parar no meio da escada na entrada do metrô para arramar o tênis (mas que vontade de chutar um ser desses). Não consigo entender por que algumas pessoas preferem gastar 8 libras no mesmo chocolate que podem comprar no Sainsbury’s por apenas uma libra. Existem outras coisas irritantes em Londres e você descobre quais são aqui.
reproducaoleicester-square
Eu não estou escrevendo aqui para te dar dicas de como economizar em Leceister Square – afinal, não tem como. O problema é que dão muito valor à uma experiência de visitar uma loja cara e sem graça, comer em restaurantes turísticos também caros, mas sem qualidade (e depois reclamam que Londres é cara e a comida é ruim). Mas o meu maior problema com turistas seja em Londres ou outras cidades é a babaquice. E existem vários tipos de babaquices.
O turista despreparado
Não existe nada pior do que ser o turista sem noção que veio para uma cidade e não sabe absolutamente nada sobre. Não precisa chegar sabendo tudo da cidade, mas é importante planejar e se programar para não voltar para casa arrependido. Pesquise o básico e você estará se poupando de vexames e gastos desnecessários.
O pacote básico inclui:
Saber como falar Olá, Bom dia, Boa Tarde, Obrigado, Por Favor, Desculpe, Licença na língua nativa do país
Se você está no budget, pesquise locais baratos para comer e atrações gratuitas, bastar apenas digitar no Google
Descubra como se locomover na cidade. Se não for pegar o transporte público e optar por taxis, cuidado. Muitos dão golpe em turistas.
Uma vez conheci um casal italiano que esqueceu de trazer o endereço de onde iam ficar. Manodocéu, isso é a primeira coisa que você deve lembrar, queridxs!
MrBean
O turista mal educado

Ser um turista mal educado não significa não falar o pacote básico de uma língua. Você pode falar inglês fluente e ser um puta grosso. Respeite que não é seu país, você é apenas um visitante, plebeu. Deixe as pessoas saírem do trem antes de entrar. Se a língua nativa é muito difícil, fale obrigado na sua língua mesmo, educação é universal. Não jogue lixo nas ruas. Não mije na calçada. Em outras palavras, não seja um Ryan Lochte da vida. E por favor, dê a porra da descarga.

O turista fotógrafo profissional

Quantas mil vezes já vi turistas que gastaram uma nota em câmeras extravagantes mas nem sabem tirar uma foto maneira. Ou então, tiram foto de qualquer coisa toda hora pelo celular. Não passe sua viagem inteira pela telinha da câmera. A viagem não é a quantidade de “likes” no Instagram ou Facebook sobre sua aventura ostentação. Viva, experiente, só assim você vai viajar de verdade. As memórias de suas experiências, ciladas e risadas serão melhores na cabeça do que no feice. Parem de clicar cada segundo de suas vidas. Você não precisa compartilhar a foto do seu prato para ter aprovação na sociedade.
reproducao/weloversize
O turista francês
Nada contra franceses, tenho até amigos que são. Hehehe.
Coloquei esse nome baseado nos milhares de franceses que conheci (ai, estereótipo, ui generalização). Mas certos comportamentos não são exclusivos de franceses.
Além de serem extremamente mal educados, fazem cara de cu para qualquer coisa se não for do jeito deles. Demandam atenção, entre outras coisas porque na cabeça deles estão pagando. Parecem que tão meio mortos por dentro. Reclamam de tudo – culpam até o hotel se estiver calor demais ou frio pra caramba. Não usam a cabeça para coisas bem simples, como por exemplo descobrir como abrir a janela. Projetam seus problemas pessoais na viagem. No restaurante ou na padaria, tratam os atendentes como se fossem lixo.

Se são um casal, brigam entre si e culpam um ao outro que a viagem não foi tão legal como esperavam. Ao invés de mudar de atitude, mudam de destino na próxima viagem. Já que ninguém deu muitos “likes” nas fotos do Instagram e também são turistas despreparados (se perdem, gastam todo o dinheiro, não sabem o que fazer na cidade), a diversão se torna encontrar defeitos na acomodação, na cidade, nos habitantes.

O turista impulsivo

O turista impulsivo é aquele que vê qualquer porcaria e quer comprar. Sacoleiro, compra 15 camisetas da Hollister. Come 83 bolinhos que nunca experimentou. Aí, na primeira semana já gastou o dinheiro de um mês de viagem. Dica: Calcule uma média de quanto pode gastar por dia. Economize bastante no começo e só no final gaste mais. Dicas para economizar em Londres você encontra aqui e aqui.
cher

O turista pão com ovo
O turista pão com ovo é aquele bem farofeiro, que leva comida fedida no trem pra economizar. Toda hora que vai no restaurante, na bilheteria do museu, na loja de roupas calcula o preço em reais. Ele te empresta 25 centavos e te cobra 6 meses depois. É mão de vaca e deselegante. Pode ser também uma mutação do turista impulsivo pós riqueza. Gastou 9 mil reais na passagem de classe executiva, mas não quer gastar mais um tostão.

Lembre-se da lei: quem converte, não se diverte. E se você quer viajar e não quer gastar, melhor ficar em casa.

 

O turista realeza
É aquele turista que sai de casa, mas quer o mesmo conforto e vantagens do seu país (sem gastar muito ou sair da zona de conforto). Aquele que quer serviço concierge alugando uma quarto barato pelo Airbnb, indo de classe econômica ou até mesmo visitando países “exóticos”.
Inspirado nos britânicos, esse tipinho acha que seu país e cultura são superiores. Olha só sobre o que eles reclamam:
Os taxistas são todos espanhóis! – Férias na Espanha
Ninguém nos avisou que haveria tantos estrangeiros no resort!
O chá não era da marca que eu gosto
Argh! O café da manhã era tipicamente italiano! – Férias em Roma
Havia muita comida, engordei 5 quilos durante a viagem – Férias em hotel com pensão completa
Fiquei enojado em saber que a maioria dos restaurantes só serviam curry – Férias em Goa, Índia
Deveriam treinar os animais no zoológico a sorrirem, eles parecem muito tristes.
Não haviam placas da rua com o nome em Inglês
Não importa o quão incrível tenha sido a viagem – e quantas pessoas pobres e humildes gostariam de ter o mesmo privilégio –, fazer críticas negativas sempre lhes dá um prazer maior. “As praias de Portugal são lindas, mas… a areia está por todo lugar”. Melhor mesmo são as praias da Inglaterra, né, querida, água gelada e pedras.
Se você é um tipinho turista inglês, fique em casa. É melhor do que sair da sua bolha. O mundo agradece.

Essas pessoas, não sejam essas pessoas. Seja um viajante.

Leia mais sobre a importância de viajar aqui
Se você sabe muito bem já como é importante e vive só pra viajar, leia esse post aqui e planeje sua próxima aventura.

Reprodução

Anúncios

2 comentários em “Como não ser um turista babaca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s