Sem grana em Londres

A não ser que você seja um milionário desencanado nessa vida, dinheiro em Londres vai ser um pequeno problema. Apesar que eu acho uma chatice quando falam que Londres é a cidade mais cara do mundo e coisa e tal. É cara sim, mas São Paulo também é, sem falar dos salários que são uma verdadeira merda. Aqui os salários não são do tipo “vou ficar rico” mas nem “vou passar fome”.

Seja pra morar, visitar ou estudar, tem que saber onde ir em Londres, saber o que comprar e como. Qualquer pessoa classe média alta pode se assustar com os preços de certas coisas aqui e ficar meio sem grana. Mas é mega possível encontrar barganhas, ofertas, promoções e coisas incrivelmente baratas. Já paguei um sobretudo maravilhoso por £17 e spaghetti por 20 centavos (que os italianos não saibam disso!).

Reprodução

 

O que é caro de verdade mesmo e faz seu dinheiro desaparecer rapidinho é o transporte. Oh, sim, um dos melhores e mais eficientes transportes públicos do mundo (nessa parte fico quieta e não menciono os caóticos atrasos que acontecem de vez em quando).

Então, como economizar no metrô e no ônibus?

Primeiro de tudo, e hoje em dia para mim é tão óbvio dizer: adquira um Oyster. É um cartão tipo o bilhete único londrino. A tarifa é mais barata e além disso você pode pegar os tais travelcards. Existem vários tipos, mas só valem a pena se você ficar pelo menos uma semana na cidade. Tem o bus pass que como o nome mesmo diz é um passe de ônibus e com ele você pode andar por uma semana (também tem o mensal) em quantos ônibus quiser. Acho uma ótima opção porque: 1) é mais barato do que o passe de metrô 2) dá para ver Londres pela janelinha 3) normalmente ônibus são bem mais vazios do que metrô 4) é menos fedido e mais limpo do que metrô. Claro que se você tiver na zona 6 vai ter que pegar 85 ônibus, então nem vale a pena. Recomendo entre zona 1 e 3, no máximo.

O travelcard do Underground só vale a pena se você pegar metrô mais de uma ou duas vezes por dia durante uma semana. Caso contrário, opte pelo top-up, que você paga conforme usa. Outra forma de economizar em Londres é: ir a pé. Pra quem é turista e estiver hospedado no centro (ou dependendo de onde estiver na zona 2), é melhor parar de preguiça e ir a pé. Londres não é uma cidade imensa e as atrações não ficam extremamente longe uma da outra. Além disso, nada melhor do que caminhar pelas suas ruas, vislumbrar casinhas vitorianas e descobrir um lugar cool de repente.

Pra encontrar roupas baratinhas, tem que esperar as promoções. Não se ilude com certas marcas ou lojas de departamento. Com o aumento do trabalho escravo na produção, muitas peças caíram intensamente de qualidade. É triste perceber que por exaustão, as pessoas responsáveis pela confecção mal costuram direito. Mas isso é tema para outro post. Fique atento. Não é só porque é Londres, só porque é barato e fashion que não é feito por trabalho escravo.

Mas saindo do eixo das High Street brands, existem umas lojas legais e com preço amigo, dependendo do que você for comprar. Na Poundland, que é tipo nosso 1,99, quase 100% dos produtos custam apenas £1. O que vale a pena são sabonetes líquidos da Dove, por exemplo, porque custam às vezes o triplo na Boots. Já os alimentos, não acho uma boa porque ficam largados lá e também porque nos supermercados podem ser mais baratos. Há outras lojas no mesmo estilo, tem muita coisa inútil ou porcaria, mas dá para encontrar o que você precisa.

Na Wilko, você encontra preços mais em conta de papel higiênico, produtos de limpeza e algum ou outro acessório para casa ou de papelaria.

Atenção que é sempre bom ter cuidado e pesquisar porque ocasionalmente os supermercados têm ofertas com mais vantagens, do tipo leve 2 pague 1. Então é bom ficar de olho. O Tesco e o Sainsbury’s oferecem também preço reduzido em carnes, pães e bolos no final do dia. O Asda é um dos mais baratos, seja para comida ou itens de cozinha, mas nem sempre é muito perto de onde você está. O Morrison’s se diz o mais barato do Reino Unido. Realmente, mas é bom ficar atento na qualidade, validade e que nem sempre é mesmo o mais barato. De todos, eu prefiro o Sainsbury’s.

O interessante é que todos eles concorrem abertamente e possuem dados dos preços de todos os produtos. Se você gastou mais porque no dia era mais caro, eles te dão um cupom com a diferença que pode ser usado na próxima compra.

Tem também o Waitrose que dizem que é pra rico. Dependendo do que você procura, se for algo mais diferente só vai ter lá e como os outros, sempre tem ofertas assim como o MS (Marks and Spencer).

Claro que se você ficar em hotel não rola ficar comendo aquela gororoba de meal deal por £3 (um sanduíche, salada ou massa + um snack + uma bebida) do Tesco Express e afins. Tem restaurantes bons e que não vão engolir toda a sua certeira. Aliás, muitos restaurantes caros aqui são péssimos, nã significa nada. E para você não ficar entupindo seu estômago com McDonalds e muito menos KFC, eis lugares com valores razoáveis:

Nando’s: Meu primo levou eu e meu irmão na primeira vez que eu fui pra Londres. O que dizer do Nando’s que mal conheço e já considero pacas? O restaurante é português e só oferece frango praticamente. Lá tem pratos individuais ou para dividir com irmãos e/ou amigos famintos. Por todos meus anos como turista na cidade, com certeza foi meu preferido, afinal era comida mesmo por um preço que não era abusivo. Existem várias opções de quão apimentado você quer seu frango, sempre peço plain que é não apimentado at all, mas é. Dá para pedir mais dois acompanhamentos, arroz, batata frita, pão de alho, etc. Se você estiver em maior número, tem um “combo” que te dá direito à dois refrigerantes com refil. São milhares de Nando’s espelhados por Londres, em alguma momento você vai trombar em um.

 

Ciao Bella: O mais triste dessa história é que fiquei hospedada duas vezes perto e nunca soube onde ficava. Ele é bem requisitado, vive sempre cheio, às vezes é necessário fazer reserva. Caso não tenha reservado, o garçom até pode te arranjar uma mesa se ainda for cedo, mas você terá apenas uma hora para comer. Os funcionários são todos italianos, alguns poloneses. As massas têm preços bons e meu gnocchi alla sorrentina estava ótimo! Tudo lá parece ser muito bom. Uma das coisas positivas desse lugar em comparação aos outros restaurantes é que não é esquema de gorjeta e sim o tradicional 10% de serviço. Você não precisa se descabelar para saber ao certo o quanto dar de gorjeta e também não deixa mais libras do que o preço do prato. E para quem não sabe, restaurantes são obrigados a servir água de graça aos clientes. Não,  a garrafinha Evian não está inclusa no esquema, meu bem. É tap water, vai na fé.

Franco Manca: É quase impossível encontrar uma pizza decente nesse país. Algumas a massa parece ser feita de borracha, outras vem tanto pouco queijo que é melhor pedir queijo ralado para por em cima, muitas são carésimas, outras são apenas nojentas. Mas no Franco Manca a pizza é digna de ser chamada pizza. E ainda por cima você vai gastar bem menos do que imagina.

Existem outros restaurantes legais, mas esses são um dos melhores custo X benefício. E como meu foco não é ficar transformando meu blog em um blog de dicas de viagens, vou encerrar por aqui.

 

 

 

Anúncios

2 comentários em “Sem grana em Londres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s